Por falta de aprender quando ainda pequenos, ou mesmo por não tê-la como fazer por necessidades pessoais, muitas pessoas acabam deixando de lado e não entendem a importância de um bom planejamento financeiro e também do quão essencial é ter um fundo de reservas, seja ele em forma de poupança, investimento e/ou um consórcio.

A ideia básica de termos uma reserva financeira é a de tê-la, mas não precisar usá-la. Por exemplo, muitas pessoas que aprendem a se planejar e guardam parte do seu dinheiro como fundo de reserva decidem que só vão usá-la em casos de extrema necessidade e emergência, quando demandamos do uso para gastos que não foram previstos (como tratamentos de doenças, dispensa do trabalho, reformas residenciais que surjam quando não eram esperadas).

Reservar dinheiro serve para qualquer motivo, mas a ideia nunca é deixá-lo em conta corrente, pois sabemos que o dinheiro que recebemos hoje não terá o mesmo valor no dia de amanhã. Portanto, ao fazer a sua reserva financeira, invista em algo que você consiga obter retornos, como por exemplo poupanças, investimentos financeiros ou, em um caso muito mais seguro e garantido, invista em um consórcio, pois sempre há a certeza de retorno ao terminar o seu grupo de consórcio. Porém, caso opte por poupanças ou investimentos, fique de olho nas taxas de rendimento e, principalmente, os ganhos e perdas que podem acontecer (mais uma vez, reforçando, lembre que o consórcio segue como opção de baixíssimo risco e garantia de recebimento no futuro).

Esperamos que tenha entendido como fazer o fundo de reserva e, caso opte por um consórcio, entre em contato com um representante da Unilance e venha realizar o seu sonho.